Fotos © Jorge Humberto  2001

PODENGO PORTUGUÊS

ORIGEM: Portugal

UTILIZAÇÃO: Cão de caça, vigia e companhia.

CLASSIFICAÇÃO F.C.I.:  Grupo 5, Spitz e tipo primitivo.
                                       Secção 7 Tipo primitivo, cães de caça. 
                                       Sem prova de trabalho. 

BREVE RESUMO HISTÓRICO: Cão do tipo primitivo, tem a sua origem provável nos antigos cães trazidos pelos Fenícios e Romanos para a Península Ibérica na antiguidade clássica, sofrendo posterior influência com a introdução de efectivos caninos que acompanharam os mouros nas invasões no séc.VIII. Adapta-se ao território e clima nacionais, originando o que é hoje o podengo português. Evoluiu morfologicamente ao longo dos séculos, em razão da funcionalidade, tendo sido seleccionada a variedade pequena, a partir do séc. XV, como cão rateiro nas caravelas dos descobrimentos. 

ASPECTO GERAL: Cabeça piramidal quadrangular, com orelhas erectas, cauda em foice, bem proporcionado, com bom esqueleto e bem musculado; dotado de muita vivacidade e inteligência; sóbrio e rústico. Possui três tamanhos, nas variedades de pêlo Liso e Cerdoso.

PROPORÇÕES IMPORTANTES: 
Podengo Grande e Médio Cão sub-mediolíneo, quase quadrado, de média ou de grande corpulência, conforme o tamanho seja médio ou grande, com uma relação comprimento do corpo/altura ao garrote: 11/10 e altura do peito/altura ao garrote: 1/2.
Podengo Pequeno Cão sub-longilíneo, de pequena corpulência, com o comprimento do corpo maior que a altura, com uma relação comprimento do corpo/altura ao garrote: 6/5 e altura do peito/altura ao garrote: 1/2.
Em todas as variedades o comprimento do chanfro é mais curto do que o comprimento do crânio. 

COMPORTAMENTO / CARÁCTER: 
Podengo Médio e Grande No Médio é aproveitada a natural vocação como cão de caça ao coelho, caçando em matilha ou isoladamente, sendo, também, conhecido por coelheiro; o Grande é utilizado para a caça maior.
Podengo Pequeno É utilizado para procurar o coelho nas covas e entre as rochas.
Em todas as variedades é também utilizado, como cão de vigia e de companhia.

CABEÇA: Seca e em forma de tronco de pirâmide quadrangular, com base larga e extremidade bastante afilada.

REGIÃO CRANIANA: 
Crânio: Plano; perfil quase recto; arcadas supraciliares salientes; sulco frontal pouco pronunciado; espaço inter-auricular horizontal com protuberância occipital saliente. 
Chanfradura Nasal (Stop): Pouco acentuada; os eixos longitudinais superiores crânio-faciais são divergentes.

REGIÃO FACIAL:
Trufa: Adelgaçada e truncada obliquamente, é proeminente na ponta; de cor mais carregada do que a da pelagem.
Chanfro: De forma encurvada, de perfil recto; mais curto do que o crânio; mais largo na base do que na ponta;
Lábios: Encostados, finos; firmes, rasgados a direito e bem pigmentados.
Mandíbulas/dentes: Normais em tesoura, com dentes brancos e sólidos; regular oposição das duas maxilas e dentição completa nos Grandes.
Faces: Secas e oblíquas.
Olhos: Expressão de olhar muito viva; olhos pouco salientes nas órbitas; da cor do mel à da castanha, consoante a pelagem; oblíquos e pequenos; pálpebras com pigmentação mais carregada do que a cor da pelagem.
Orelhas: Inserção oblíqua e média; direitas, com grande mobilidade; verticais ou pouco inclinadas para diante, quando atentos; pontiagudas, largas na base, de forma triangular; finas, com altura apreciável e maior do que a base.

PESCOÇO: Ligação harmoniosa com a cabeça e com o tronco; direito; comprido; proporcionado, forte e bem musculado; ausência de barbela.

TRONCO: 
Linha superior: Direita, horizontal.
Garrote: Discreto em relação ao pescoço e dorso.
Dorso: Direito e comprido.
Rim: Direito; largo e musculado.
Garupa: Direita ou pouco descaída; de comprimento médio; larga e musculada.
Peito: Descido até ao codilho; de largura média; comprido, com esterno inclinado para trás e para cima; costelas pouco arqueadas e oblíquas; peitoral pouco saliente e musculado, não muito largo; 
Linha inferior e ventre: Ligeiramente subida; ventre e flancos secos, ligeiramente arregaçados.

CAUDA: Inserção mais alta do que baixa; forte, grossa e pontiaguda; de comprimento médio; em repouso caindo entre as nádegas, até a altura dos curvilhões e ligeiramente arqueada, em acção, levanta-se, horizontalmente, ligeiramente arqueada, ou verticalmente, em foice, mas nunca enrolada; franjada na sua parte ventral.

MEMBROS:

MEMBROS ANTERIORES: Bem aprumados de frente e de lado; bem musculados e secos; 
Espáduas: Compridas; oblíquas; fortes e bem musculadas; ângulo da espádua aberto, com aproximadamente 110º. 
Codilhos: Paralelos ao plano médio do corpo.
Antebraços: Verticais; compridos e musculados.
Carpos: Secos e não salientes.
Metacarpos: Curtos; fortes; pouco oblíquos.
Mãos: Arredondadas; dedos compridos, fortes e unidos com curvatura fechada; unhas curtas e fortes, de preferência escuras, palmas resistentes e duras.

MEMBROS POSTERIORES: Bem aprumados de trás e de lado; bem musculados e secos; paralelos ao plano médio do corpo.
Coxas: Compridas; largura média; musculadas; 
Joelhos: Com ângulo fémuro-tibial de aproximadamente 135º;
Pernas: Oblíquas; compridas; secas, fortes, musculadas.
Jarretes: Altura média; secos; fortes; ângulo do jarrete aberto com aproximadamente 135º;
Metatarsos: Fortes; curtos; oblíquos; Sem presunhos.
Pés: Arredondados; dedos compridos, fortes e unidos, com curvatura fechada; unhas curtas e fortes, de preferência escuras, palmas resistentes e duras.

ANDAMENTOS: Trote ligeiro, movimentos fáceis e ágeis. 

PELE: Mucosas, de preferência pigmentadas de negro ou sempre de mais escuro do que a pelagem; pele fina e tensa.

MANTO:
Pêlo: De pêlo curto ou pêlo comprido; de grossura média; pêlo liso quando curto ou pêlo áspero (cerdoso) quando comprido; o pêlo curto é mais denso do que o comprido; na variedade de pêlo comprido e áspero, o pêlo no chanfro é comprido (barbaças); sem sub-pêlo.
Cores: Admitidas - amarelo, fulvo, com as variedades claro, comum e escuro; unicolores ou malhadas de branco ou branco malhadas;
São ainda admitidas no Podengo Pequeno mas não preferenciais: preto, castanho, nas suas tonalidades; unicolores ou malhadas de branco ou branco malhadas;

ALTURA E PESO:
Altura ao garrote: 
De 20 a 30 cm nos Pequenos
De 40 a 55 cm, nos Médios 
De 55 a 70 cm, nos Grandes

Peso: 
De 4 a 6 Kg, nos Pequenos
De 16 a 20 Kg, nos Médios
De 20 a 30 Kg, nos Grandes

DEFEITOS: Qualquer desvio em relação ao estalão deve ser considerado como falta e penalizado na exacta proporção da sua gravidade e das suas consequências na saúde e bem estar do cão.

Comportamento: Sinais de timidez.
Crânio/Chanfro: Eixos longitudinais superiores crânio-faciais paralelos.
Maxilas: Má oposição ou dentes com má implantação; dentição em pinça; dentição incompleta nos Podengos Grandes;
Trufa: Despigmentação parcial. 
Pescoço: Arqueado; 
Tronco: Linha superior arqueada;
Garupa: Demasiadamente descaída;
Presunhos: A sua existência é depreciativa;
Pêlo: Sedoso e/ou sub-pêlo;

DEFEITOS GRAVES:
Crânio/Chanfro: Eixos longitudinais superiores crânio-faciais convergentes;
Trufa: Despigmentação total;
Orelhas: Curvas;
Ventre: Muito arregaçado;
Cauda: Enrolada.

DEFEITOS ELIMINATÓRIOS (DESQUALIFICAÇÕES):
Carácter: Agressivo ou demasiado tímido. 
Aspecto Geral: Sinais de cruzamento com galgo ou perdigueiro ou qualquer outra mestiçagem;
Maxilas: Prognatismo ou endognatismo; 
Olhos: De cor diferente;
Orelhas: Dobradas ou caídas;
Cores da Pelagem: Tigradas ou raiadas; preto afogueado; tricolor e branco integral; 

Todo o cão que apresentar qualquer nível de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

Nota: Os machos devem sempre apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos no escroto.
 
 

Clube Português de Canicultura

<< Regressar